O mistério do lago no Himalaia cheio de esqueletos humanos

O mistério do lago no Himalaia cheio de esqueletos humanos
O Lago Roopkund permanece envolto em mistério. Crédito de imagem: CC BY-SA 4.0 Ashokyadav739

Um lago raso situado no alto das montanhas da Índia está cheio de restos de esqueletos que datam de séculos atrás.

De relance, o lago Roopkund pode parecer qualquer outro lago de montanha na região, mas se você se aproximar mais, sua superfície gelada esconde os restos mortais de centenas de indivíduos.

Quem eram essas pessoas e como elas chegaram lá permaneceu por muito tempo um tópico de debate entre os pesquisadores, com alguns especulando que uma antiga catástrofe poderia ser a culpada.

Agora, porém, um novo estudo envolvendo uma análise de 38 esqueletos revelou que essas pessoas vieram de vários grupos distintos que chegaram à região ao longo de 1.000 anos.

O geneticista da Harvard Medical School, David Reich, informou:

Através do uso de análises biomoleculares, como o DNA antigo, a reconstrução da dieta isotópica estável e a datação por radiocarbono, descobrimos que a história do Lago Roopkund é mais complexa do que jamais imaginamos.

Dos que foram examinados, 23 vieram da Índia atual, 14 vieram de Creta e da Grécia, enquanto o indivíduo restante parecia ter vindo do sudeste da Ásia.

A bióloga Eadaoin Harney, da Universidade de Harvard, disse:

Ficamos extremamente surpresos com a genética dos esqueletos de Roopkund. A presença de indivíduos com ancestrais tipicamente associados ao Mediterrâneo Oriental sugere que o Lago Roopkund não era apenas um local de interesse local, mas atraía visitantes de todo o mundo.

No entanto, exatamente o que atraiu essas pessoas para o lago ao longo dos séculos ainda permanece um mistério total.

(Fonte)

1
Deixe um comentário

Deixe uma resposta

  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
trackback

[…] Provavelmente tudo não passa de uma coincidência, se é que coincidências realmente existem. De qualquer forma, nossa história antiga sempre nos presenteia com muitos mistérios… […]