Além da morte: visões de entes queridos já falecidos

Além da morte: visões de entes queridos já falecidos

Muitas pessoas relataram ter visto seus entes queridos falecidos pouco antes ou ao estarem prestes a morrer. Neste artigo, falaremos sobre um fenômeno que vai além da intuição ou do palpite.

Abaixo está uma seleção de casos coletados pelo Dr. Bruce Greyson, da Universidade da Virgínia, em seu relatório de 2010 “Seeing Dead People Not Known to Have Died…” (Vendo pessoas mortas, Sem Saber Que Tinham Morrido – título em tradução livre), publicado pela American Anthropology Association.

Dr. Greyson diz:

Esses casos são a evidência mais convincente de que a consciência sobrevive à morte.

Criança com febre vê sua irmã e seus parentes mortos

Um garoto de nove anos chamado Eddie Kumo estava com febre há quase dois dias. Ele acordou às 3h00 da manhã, quando a temperatura caiu, e ao acordar disse a seus pais e ao Dr. K. Dale que havia visto os membros mortos da família, inclusive seu avô.

O garoto também viu sua irmã de 19 anos, Teresa, que estava na faculdade. O pai de Eddie conversou com ela alguns dias atrás, e ela estava bem, então eles ficaram surpresos por ele ter mencionado Teresa.

Mas, no final do dia, a família soube que Teresa morreu em um acidente de carro à meia-noite – algumas horas antes de Eddie adormecer por causa da sua forte febre.

Este caso foi escrito pelo médico KM Dale e é mencionado no livro “Children of the Light: The Startling and Inspiring Truth about Children’s Near-Death Experiences” (Filhos da Noite: A Surpreendente e Inspiradora Verdade as Experiências de Quase Morte de Crianças – título em tradução livre), escrito em 1995 por Brad e Sherry Hansen Staydzherov.

Uma mulher em um acidente de carro viu o pai, que morreu uma hora antes.

Uma mulher indígena sofreu um acidente de carro e estava morrendo. Ela disse a um estranho que parou para ajudá-la: “Se você passar perto da reserva indiana, diga à minha mãe que estou bem. Não só bem, estou muito feliz porque já estou com meu pai”.

O estranho encontrou a mãe e transmitiu a mensagem. Acontece que o pai da mulher havia morrido inesperadamente de um ataque cardíaco uma hora antes do acidente de carro. Esta história foi relatada pela psiquiatra Elisabeth Kübler-Ross em seu livro escrito em 1983, “On Children and Death…” (Sobre as Crianças e a Morte… – título em tradução livre).

Uma mulher teve uma visão de seu filho antes de morrer

No século XIX, na Inglaterra, a Sra. Hicks estava em seu leito de morte. Seu filho, Eddie, morava na Austrália, era saudável e bem, pelo que todos na Inglaterra sabiam.

A senhora Hicks disse: “Pobre Eddie. Oh, ele está muito doente. Teve uma queda”.

Ela continuou falando sobre o “pobre Eddie” até que ele morreu mais tarde naquele dia. Como foi descoberto depois, Eddie ficou doente e caiu de cavalo, morreu no mesmo dia em que sua mãe teve a visão.

Esta história foi contada no Proceedings of the Society for Psychical Research, em 1899.

Um garoto viu o amor de sua mãe na escola.

Um garoto de 7 anos estava morrendo de leucemia quando contou à mãe que tinha estado no céu. Lá no céu, o garoto disse, que um homem o apresentou como o ex-namorado de sua mãe, que ficou paralisado em um acidente de carro.

A mãe tinha certeza de que nunca havia contado ao filho sobre esse antigo namorado.

Mais tarde, a mãe soube que seu ex-namorado havia morrido no mesmo dia em que seu filho teve a visão.

Esta história foi relatada pelo pediatra Melvin Morse em seu livro de 1990 “Closer to the Light: Learning from the Near-Death Experiences of Children” (Mais Perto da Luz: Aprendendo com as Experiências de Quase Morte das Crianças – título em tradução livre), co-escrito por Paul Perry.

“Oh, Will, estás aí?”

Uma mulher idosa estava morrendo nos Estados Unidos, cercada por seus netos. Pouco antes de morrer, ela disse: “Oh, Will, você está aí?”

A única pessoa mencionada no testamento da família era um avô tio na Inglaterra. Mais tarde, sua família soube que Will havia morrido dois dias antes da morte da idosa.

Esta história foi contada pelo Dr. Ian Stevenson em seu livro de 1959, “Os Fatos Embaraçosos Sobre a Percepção Extra-Sensorial – título em tradução livre”.

(Fonte)

Isso tudo nos leva a outro artigo interessante que lida com esta questão:

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta