Sacerdotes robôs com Inteligência Artificial substituem clérigos humanos, com promessa de 'sabedoria ilimitada'

Protestantes, católicos, budistas e hindus têm ciber-sacerdotes.

Em um templo budista de 400 anos em Kyoto, Japão, um novo sacerdote chamado Mindar começou a liderar budistas fiéis em oração.

O sacerdote diz aos adoradores:

Você se apega a um senso de ego egoísta. Os desejos mundanos não passam de uma mente perdida no mar.

Mas Mindar não é um sacerdote comum. É um androide de US$ 1.000.000, feito de aço e silício, com um rosto de ‘pele’ sintética.

[Para informações de como ativar a legenda em português do vídeo abaixo, embora ela não seja precisa e possa não funcionar em dispositivos móveis, clique aqui.
(Macete: algumas legendas são melhores acompanhadas lendo-se somente a última linha)]

Por enquanto, o Mindar, projetado por Hiroshi Ishiguro, está pré-programado com algumas orações. Mas um representante do templo de Kodaiji diz que um dia, com a adição de inteligência artificial (IA), o Mindar poderia ter ‘sabedoria ilimitada’.

O sacerdote budista Tensho Goto disse:

Este robô nunca morrerá, continuará se atualizando e evoluindo. Essa é a beleza de um robô. Pode armazenar o conhecimento para sempre e sem limites.

Com a IA, esperamos que cresça em sabedoria para ajudar as pessoas a superar até os problemas mais difíceis. Está mudando o budismo.

O budismo não é a única religião que está passando por uma revolução do robô. Na Índia, relata o site Vox, uma representação robótica do deus hindu Ganesh, com cabeça de elefante, realiza o ritual de Aarti, e para os católicos há o San-TO, um santo robô de 43 centímetros de altura que usa um microfone e uma câmera de reconhecimento facial para ajudar a escolher a citação correta do Evangelho para os paroquianos infelizes.

Para os protestantes, existe o BlessU-2, um robô alemão projetado para estimular o debate sobre o futuro da igreja e o potencial da inteligência artificial.

Stephan Krebs, da igreja protestante de Hesse e Nassau, disse ao Guardian:

Queríamos que as pessoas considerassem se é possível ser abençoado por uma máquina ou se é necessário um ser humano.

A ideia é provocar um debate. As pessoas da rua são curiosas, divertidas e interessadas. Elas estão realmente empolgadas com isso e são muito positivas.

Mas dentro da igreja algumas pessoas pensam que queremos substituir pastores humanos por máquinas. Aqueles que são orientados para a igreja são mais críticos.

Há também um monge robô na China, bem como um robô funerário dedicado que pode reduzir as despesas de contratar um sacerdote para parentes enlutados.

Todas essas maravilhas mecânicas substituirão o humilde sacerdote da vila? Para Tensho Goto, não importa:

O budismo não é uma crença em um Deus; está seguindo o caminho de Buda.

Não importa se é representado por uma máquina, um pedaço de sucata ou uma árvore.

(Fonte)

1 COMENTÁRIO

  1. Penso eu ser o fim da religião… Mas pensando melhor, talvez não. O povo é burro. Não dão dinheiro para igrejas picaretas hoje, enriquecendo seus proprietários?
    Vai virar maquina de pinball. Coloque seu dinheiro na máquina e receba uma benção.

Deixe uma resposta