Poderiam falhas inesperadas na matriz explicar Déjà Vu e fantasmas?

O interesse na teoria do universo holográfico está aumentando. Mais e mais cientistas estão investigando a possibilidade de nossa realidade ser uma ilusão holográfica criada por uma raça desconhecida altamente avançada.

Poderiam falhas inesperadas na matriz explicar Déjà Vu e fantasmas?

Agora, os cientistas estão sugerindo alguns fenômenos inexplicáveis, como avistamentos de fantasmas, e a percepção extra-sensorial pode ser causados por falhas na Matriz (Matrix).

Já foi mencionado anteriormente que nossas experiências de déjà vu são uma janela para um universo paralelo, mas também é possível que essa sensação estranha possa ser o resultado de uma falha em nossa realidade simulada.

Haveriam falhas em nossa realidade simulada?

De acordo com John D. Barrow, do Centro de Ciências Matemáticas da Universidade de Cambridge, devemos considerar seriamente a possibilidade de que nossos programadores superiores possam ter criado vários universos falsos e essas simulações em computador podem conter erros.

Barrow disse:

Mudanças repentinas misteriosas poderiam ocorrer, as quais pareceriam contrariar as próprias leis da natureza que os cientistas simuladores tinham o hábito de observar e prever.

Portanto, concluímos que, se vivemos em uma realidade simulada, devemos esperar ocasionais falhas repentinas, pequenos desvios nas supostas constantes e leis da Natureza ao longo do tempo e uma constatação crescente de que as falhas da natureza são tão importantes quanto as leis da natureza para nossa compreensão da verdadeira realidade.

Julian Keith, Ph.D. e Curry Guinn, Ph.D. da Universidade da Carolina do Norte exploraram a possibilidade de estarmos vivendo em um mundo gerado por computador como o do filme Matrix.

De acordo com a teoria do Universo Holográfico, nossa realidade não passa de uma ilusão e já foi sugerido que os humanos são um experimento científico que faz parte de um holograma criado e controlado por um gênio do mal.

Pode parecer loucura, mas podemos provar que não somos hologramas? Nossos sentidos são limitados e experimentos quânticos revelaram que a realidade não existe, a menos que a observemos.

Keith disse:

Sua visão vê apenas uma lasca, uma pequena faixa do espectro eletromagnético. Você não tem consciência da maior parte disso.

O cientista cognitivo Donald Hoffman, da Universidade da Califórnia, que passou 30 anos tentando desvendar o mistério de nossa percepção, está convencido de que a evolução e a mecânica quântica conspiram para tornar a realidade objetiva uma ilusão. Hoffman sugeriu que nosso mundo é uma prisão conceitual e só vemos vislumbres da realidade.

Keith explica que não devemos nos sentir frustrados por não podermos ver tudo o que está ao nosso redor.

Ele disse:

Se você tivesse que interagir com o mundo em toda a extensão do que está acontecendo, ficaria congelado. Então, a biologia desenvolveu uma interface de usuário que simplifica muito do que você está interagindo.

Sua mente é a sua interface que está constantemente fabricando as cores e sons que você experimenta. Ela está constantemente atualizando seu modelo de realidade e interagindo com ele. É a sua matriz. Você interage sem saber que há mais alguma coisa lá fora.

Segundo seu colega, Curry, não devemos descartar a possibilidade de estarmos vivendo em uma simulação de computador. Como aponta Curry:

Elon Musk, da Telsa e da Space X, disse que há um bilhão de uma chance de não estarmos vivendo em uma simulação de computador.

Poderiam as falhas em uma realidade simulada lançar uma nova luz sobre fenômenos inexplicáveis?

A teoria da matriz pode parecer irreal para alguns, mas Curry diz que devemos apenas olhar para o rápido desenvolvimento de nossos jogos de computador modernos.

Nick Bostrom, professor da Faculdade de Filosofia da Universidade de Oxford e diretor fundador do Instituto Future of Humanity e do Programa sobre os Impactos da Tecnologia do Futuro na Oxford Martin School, apresentou seu chamado argumento de simulação há alguns anos. De acordo com a Bostrom, os futuros jogos de computador serão tão parecidos com a realidade que não poderemos dizer a diferença. Eles serão como o Holodeck de Jornada nas Estrelas. E os personagens neles podem não perceber que estão em uma simulação.

Bostrom disse:

É inevitável que criaremos realidades indistinguíveis dessa realidade.

Curry perguntou:

Falhas no sistema. DéjàVu, como no filme Matrix, quando um personagem vê um gato atravessando uma porta repetidamente, pode ser uma falha. Fantasmas, ESP, coincidências podem ser outras. As leis da física em nosso universo parecem peculiarmente projetadas com um conjunto de constantes que tornam possível a vida baseada em carbono. Onde estão as bordas?

Glitches in the system. Déjà Vu, such as in the Matrix movie when a character sees a cat crossing a doorway repeatedly, may be one glitch. Ghosts, ESP, coincidences may be others. The laws of physics in our universe seem peculiarly designed with a set of constants that make carbon-based life possible. Where are the edges?” Curry asked.

Falhas repentinas nas leis que governam nossa realidade simulada podem explicar muitos fenômenos inexplicáveis.

(Fonte)

Muitos mistérios nos rodeiam, mas estamos sempre envolvidos no nosso dia-a-dia, sem tempo para ponderarmos a respeito disso. Por sorte, ou não, alguns cientistas se dedicam justamente a esse tipo de coisa. Porém, nem eles têm a resposta para tudo.

Deixe sua opinião na área de comentários mais abaixo e não esqueça e visitar nossa página principal clicando aqui. Muitas outras coisas interessantes – e muitas vezes estranhas e absurdas – estão ocorrendo neste planeta…

4 COMENTÁRIOS

    • Muito obrigado. Sempre é bom “escutar” um incentivo para continuarmos o nosso trabalho com ânimo.

      Grande abraço,

Deixe uma resposta