Irã ataca bases dos EUA no Iraque em retaliação à morte de general

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse que seu país “deu um tapa na cara” dos Estados Unidos na noite passada, referindo-se aos ataques de mísseis contra as forças militares dos EUA no Iraque, em retaliação pela morte do comandante mais poderoso do Irã.

Irã ataca bases dos EUA no Iraque em retaliação à morte de general
Esta é a imagem estática de um vídeo da transmissão da República Islâmica do Irã filmado em 8 de janeiro de 2020, mostra supostamente foguetes lançados do Irã contra forças militares dos EUA alojadas na base aérea de Ain al-Asad no Iraque. Ho / IRIB / AFP via Getty Images

O Irã disparou mais de uma dúzia de mísseis balísticos contra o vizinho Iraque na noite de terça-feira, visando bases militares iraquianas que abrigam tropas e forças de coalizão americanas, segundo o porta-voz do Pentágono Jonathan Hoffman.

“Essas bases estão em alerta devido a indicações de que o regime iraniano planejava atacar nossas forças e interesses na região”, disse Hoffman em comunicado, observando que “estamos trabalhando nas avaliações iniciais dos danos das batalhas.

“Ao avaliarmos a situação e nossa resposta”, acrescentou, “tomaremos todas as medidas necessárias para proteger e defender o pessoal, parceiros e aliados dos EUA na região”.

Um oficial de defesa dos EUA disse à rede de notícias norte-americana, ABC News, que 10 dos mísseis atingiram a base aérea de Ain al-Asad, na província de Anbar, no oeste do Iraque, e um atingiu uma base em Erbil, na região curda semiautônoma do Iraque. Quatro outros mísseis “falharam “durante o vôo, disse o oficial.

Uma fonte do governo regional do Curdistão disse à ABC News que três mísseis foram disparados no aeroporto internacional de Erbil e na base militar dos EUA nas proximidades. Dois dos foguetes foram derrubados por baterias antimísseis, enquanto o terceiro caiu atrás do aeroporto, mas não explodiu, disse a fonte.

Irã ataca bases dos EUA no Iraque em retaliação à morte de general
O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, discursa durante uma reunião em Teerã, em 8 de janeiro de 2020.  
Site oficial de Khamenei / Divulgação via Reuters

A Guarda Revolucionária Islâmica, um ramo das Forças Armadas Iranianas, assumiu rapidamente a responsabilidade pelos ataques, quando multidões de pessoas foram às ruas de Teerã para comemorar.

Mais tarde, o ministro das Relações Exteriores do Irã, Mohammad Javad Zarif, escreveu no Twitter que seu país adotou “medidas proporcionadas em defesa do artigo 51” da Carta das Nações Unidas.

“Não buscamos escalada ou guerra, mas nos defenderemos de qualquer agressão”, disse Zarif.

Uma autoridade dos EUA e uma autoridade sênior do governo Trump disseram à ABC News que as primeiras indicações são de que não houve vítimas americanas nos ataques.

O presidente dos EUA, Donald Trump, foi ao Twitter na noite de terça-feira para garantir aos americanos que “está tudo bem”.

“Até agora, tudo bem!” Ele twittou. “Temos de longe os militares mais poderosos e bem equipados do mundo!”

O governo Trump argumentou que a morte de Soleimani foi fundamental para frustrar “ataques iminentes” que o comandante iraniano estava ajudando a conspirar contra o pessoal dos EUA na região. A administração não forneceu evidências desses planos…

(Fonte)

Uma situação lamentável. Quando é que os humanos absurdos vão aprender e parar de fazer absurdidades?

Deixe sua opinião na área de comentários mais abaixo e não esqueça e visitar nossa página principal clicando aqui. Muitas outras coisas interessantes – e muitas vezes estranhas e absurdas – estão ocorrendo neste planeta…

Deixe uma resposta