Veja o que os cientistas sabem até agora sobre o “novo” coronavírus da China

Compartilhe a notícia com o planeta!

Um novo vírus do tipo Síndrome Respiratória Aguda Grave (de sigla em inglês, SARS) matou seis pessoas na China e infectou quase 300 outras.

Veja o que os cientistas sabem até agora sobre o "novo" coronavírus da China
A estrutura de um coronavírus. (Roger Harris / Science Photo Library / Getty Images)

Teme-se que o coronavírus se espalhe durante a imensa migração anual do Ano Novo Lunar. Vários países asiáticos e Estados Unidos introduziram novas verificações para passageiros de Wuhan, a cidade chinesa identificada como epicentro.

Aqui está o que sabemos sobre o vírus:

Ele é totalmente novo

O vírus parece ser uma cepa de coronavírus nunca vista antes – uma grande família de vírus que pode causar doenças que vão do resfriado comum à Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS), que matou 349 pessoas na China continental e outras 299 em Hong Kong. Kong entre 2002 e 2003.

Arnaud Fontanet, chefe do departamento de epidemiologia do Institut Pasteur em Paris, disse à AFP que a atual cepa de vírus era 80% geneticamente idêntica à SARS.

A China já compartilhou o sequenciamento do genoma desse novo coronavírus com a comunidade científica internacional.

Por enquanto, ele está sendo chamado de “2019-nCoV”.

Ele está sendo transmitido entre humanos

A Organização Mundial da Saúde disse na segunda-feira (20) que acreditava que uma fonte animal era a ‘fonte primária’ do surto, e as autoridades de Wuhan identificaram um mercado de frutos do mar como o centro da epidemia.

Mas a China confirmou desde então que há evidências de que o vírus está passando de pessoa para pessoa, sem nenhum contato com o mercado.

A doutora Nathalie MacDermott, do King’s College London, disse que parece provável que o vírus se espalhe através de gotículas no ar por causa de espirros ou tosse.

Médicos da Universidade de Hong Kong publicaram na terça-feira um artigo inicial modelando a disseminação do vírus, que estimou a ocorrência de 1.343 casos em Wuhan – semelhante a uma projeção de 1.700 na semana passada pelo Imperial College de Londres.

Ambos são muito superiores aos números oficiais.

Both are much higher than official figures.

Ele é mais brando que a SARS

Comparados com a SARS, os sintomas parecem ser menos agressivos, e especialistas dizem que o número de mortos ainda é relativamente baixo.

Segundo as autoridades de Wuhan, 25 das mais de 200 pessoas infectadas na cidade já receberam alta.

Zhong Nanshan, um renomado cientista da Comissão Nacional de Saúde da China, disse em entrevista coletiva nesta semana:

É difícil comparar esta doença com a SARS. Ela é mais branda. A condição do pulmão não é como a SARS.

No entanto, a natureza mais branda do vírus também pode causar alarme.

O surto ocorre enquanto a China se prepara para o feriado do ano novo lunar, com centenas de milhões viajando pelo país para ver a família.

O professor Antoine Flahault, diretor do Instituto de Saúde Global da Universidade de Genebra, disse à AFP que o fato do vírus parecer mais brando na maioria das pessoas é ‘paradoxalmente mais preocupante’, pois permite que as pessoas viajem mais antes que seus sintomas sejam detectados.

Jeremy Farrar, diretor do Wellcome Trust, disse:

Wuhan é um importante centro e, com as viagens sendo uma grande parte do Ano Novo Chinês que se aproxima rapidamente, o nível de preocupação deve permanecer alto.

Isso poderia levar a uma emergência internacional de saúde pública

A OMS realizará uma reunião hoje (22) para determinar se o surto constitui uma “emergência de saúde pública de interesse internacional” e, em caso afirmativo, o que deve ser feito para gerenciá-lo.

A agência só usou esse rótulo raro algumas vezes, inclusive durante a pandemia da H1N1 – ou gripe suína – de 2009 e a epidemia de Ebola que devastou partes da África Ocidental de 2014 a 2016.

O governo chinês anunciou terça-feira que estava classificando o surto na mesma categoria que o surto da SARS, o que significa isolamento obrigatório para aqueles diagnosticados com a doença e o potencial de implementar medidas de quarentena nas viagens.

Mas se a OMS decidir dar esse passo, colocaria o vírus Wuhan na mesma categoria de um punhado de epidemias muito graves

(Fonte)

Com essa “biologia estranha” assolando o mundo, não custa nos precavermos. Esperemos que, bem como os surtos anteriores de outros vírus, este também desapareça.

Deixe sua opinião na área de comentários mais abaixo e não esqueça e visitar nossa página principal clicando aqui. Muitas outras coisas interessantes – e muitas vezes estranhas e absurdas – estão ocorrendo neste planeta…


Compartilhe a notícia com o planeta!

1 COMENTÁRIO

Deixe uma resposta